Festa da Vista Alegre em honra de Nossa Senhora da Penha de França já é Património Imaterial Cultural

A festa da Vista Alegre, em Ílhavo, celebrada em honra de Nossa Senhora da Penha de França, passou a ser considerada Património Cultural Imaterial de Portugal.

Por despacho do director geral do Património Cultural, as festividades dedicadas à Padroeira da fábrica da VAA passaram a estar inscritas no inventário nacional, na sequência da proposta elaborada pela Vista Alegre Atlantis, na qualidade de entidade responsável pelo Museu da Vista Alegre.

A festa é um evento religioso e cultural que ocorre no primeiro fim-de-semana do mês de julho, no lugar da Vista Alegre, em Ílhavo. Invocando o culto à Nossa Senhora da Penha de França, tem como local central a capela aí construída em sua honra, nos finais do século XVII, pelo Bispo D. Manuel de Moura Manoel, templo classificado como Património Nacional.

As festividades religiosas remontam, provavelmente, ao século XVIII, tendo as celebrações sido absorvidas pela empresa, com o estabelecimento, nesse espaço, da Fábrica de Porcelana da Vista Alegre, em 1824. As festividades passaram a ser patrocinadas pela administração e organizadas pelos funcionários.

Para além da dimensão religiosa, a festa adquiriu novos contornos, tornando-se num importante momento de convívio entre colaboradores, administração, moradores do bairro da Vista Alegre e elementos da comunidade local.

Resultado de um conjunto particular de desenvolvimentos históricos, as festas possuem, hoje, um caráter invulgar, agregando atividades religiosas, como a procissão ou a missa, momentos de construção e celebração da identidade empresarial como, por exemplo, o almoço dos reformados, os jogos tradicionais ou o hastear da bandeira da Vista Alegre.

A classificação desta festa tinha sido proposta à direcção-geral do Património Cultural em dezembro de 2014, contando com os pareceres positivos da Câmara Municipal de Ílhavo, da Paróquia de São Salvador e da Direcção Regional de Cultura do Centro.