Perfil do Grupo

Holding multinacional e multissetorial. Estrutura com 35 anos de atividade com a sua génese em Viseu, onde mantém a sede, nas áreas das Telecomunicações e Construção. Após tornar-se líder no mercado nacional, consolidou o seu core business e alargou a sua área de atuação a diversos setores, iniciando paralelamente um processo de internacionalização. Atualmente está presente em 15 países e comercializa os seus produtos e serviços para mais de 70 nações.

Valores

Criatividade | Inovação | Competitividade | Dinamismo | Ambição

Os valores que assumimos, enquanto elementos definidores da marca Visabeira, são transversais a todos os profissionais e às várias áreas da organização, mostrando-se decisivos para a evolução do Grupo e o seu contínuo sucesso.

Missão

Performing Dreams

Assumimos como desígnio levar aos nossos parceiros e clientes respostas cada vez mais completas, de acordo com as suas necessidades e respondendo às suas expetativas. Graças à transdisciplinaridade que nos define, produzimos uma grande diversidade de bens, prestamos serviços nas mais diversas áreas e criamos múltiplas oportunidades de negócio.

No Grupo Visabeira trabalhamos para criar infraestruturas de telecomunicações de última geração, desde as áreas urbanas mais cosmopolitas às zonas mais remotas e isoladas; colaboramos com artistas, artesãos e engenheiros altamente especializados para produzir cerâmica e cristal premiados mundialmente; oferecemos uma ampla variedade de propostas turísticas e de restauração, dentro e fora de Portugal, procurando diversificar e surpreender continuamente; desenhamos e construímos mobiliário de cozinha que se adapta às exigências funcionais e estéticas de um público global; prestamos serviços de saúde e de bem-estar de alta qualidade; concebemos e construímos projetos imobiliários caraterizados pela qualidade e pelo conforto.

Estas são apenas algumas das expressões exemplificativas da capacidade produtiva e operacional da Visabeira.

Todos os dias, um pouco por todo o mundo, somos facilitadores do dia a dia das pessoas, concretizando expetativas e levando mais qualidade às suas vidas.

Visão

Através de um crescimento sustentado e de uma expansão de negócio, focada na otimização de recursos, o Grupo Visabeira cria valor e antecipa as necessidades dos seus clientes, tendo em conta os diferentes mercados onde opera e mantendo sempre um nível de qualidade de serviços superior.

Estratégia

Trabalhando consistentemente de acordo com a nossa missão, colocamos sempre o crescimento e a qualidade no centro de tudo o que fazemos. Adotando um modelo de otimização de competências e maximização de sinergias, estamos posicionados para alcançar um progresso constante. Vocacionados para o crescimento e a melhoria da nossa oferta, vamos cada vez mais ao encontro das necessidades globais dos diversos mercados, através de serviços integrados e de uma visão abrangente.

Conselho de Administração e Comissão Executiva

“É com confiança que olhamos para o futuro.
Junto de todos os nossos parceiros continuaremos focados na conquista do progresso, a pensar em si.”

Fernando Campos Nunes
Presidente do Conselho de Administração

Conselho de Administração e Comissão Executiva
Nuno Miguel Rodrigues Terras Marques

Nuno Miguel Rodrigues Terras Marques

Vice-Presidente do Conselho de Administração & Presidente da Comissão Executiva

Alexandra da Conceição Lopes

Alexandra da Conceição Lopes

Membro do Conselho de Administração e da Comissão Executiva

João Manuel Pisco de Castro

João Manuel Pisco de Castro

Membro do Conselho de Administração e da Comissão Executiva

José Luís Borba de Campos Nogueira

José Luís Borba de Campos Nogueira

Membro do Conselho de Administração e da Comissão Executiva

António Jorge Xavier da Costa

António Jorge Xavier da Costa

Membro do Conselho de Administração e da Comissão Executiva

Filomena Pastor

Filomena Pastor

Em representação da Portugal Capital Ventures - Sociedade de Capital de Risco, S.A.

Principais Indicadores Financeiros

  • 2013
  • 2014
  • 2015
  • 2016
  • Relatório & Contas 2013https://grupovisabeira.com/assets/ra2013gv_pt.pdf

    Em 2013, o Grupo Visabeira, manteve a sua rota de crescimento com o volume de negócios a atingir um novo máximo de 563 milhões de euros, um acréscimo de 5,4% face ao ano anterior. Igualmente ao nível do EBITDA atingiu o nível mais elevado de sempre na história do Grupo, ao situar-se nos 82,5 milhões de euros, com uma margem de 14,7%,. Num cenário macro-económico adverso e com a crise interna que Portugal atravessa, o Grupo continua a consolidar e reforçar o processo de internacionalização, que delineou  há quase três décadas.

    Em reflexo desta estratégia, os mercados externos representaram, pela primeira vez, mais de metade do volume de negócios consolidado gerado no ano (54%), com um importante crescimento de 26% face ao período homólogo. Países como Angola, Moçambique, França, Espanha, Alemanha, Bélgica, Brasil, Estados Unidos, contribuíram fortemente para geração de resultados operacionais no ano de 2013.

    A Visabeira Global, com um peso superior a 70% do volume de negócios do Grupo, a par da sua contribuição no EBITDA de 61%, reflete a boa performance das atividades de televisão por cabo, quer em Angola quer em Moçambique; das operações de infraestruturas de telecomunicações, principalmente em França e em Moçambique; e das infraestruturas de transporte ferroviário em Moçambique. A Indústria, integrando marcas emblemáticas como a Vista Alegre e a Bordallo Pinheiro, também demonstrou uma melhoria no seu desempenho operacional. A Pinewells consolidou a sua posição no mercado produtor de pellets e apresentou um crescimento considerável no seu volume de negócios a par de um EBITDA de 2,4 milhões (mais 100% face ao período homólogo). A Vista Alegre, com 1,6 milhões de euros, representou mais de 44% do EBITDA desta subholding. A Visabeira Turismo através da oferta hoteleira de onze unidades hoteleiras distribuídas entre Portugal e Moçambique representou um volume de negócios consolidado de 32,6 milhões de euros.

    O nível dos custos operacionais, a Constructel, empresa de telecomunicações francesa, fruto do incremento da atividade, fez crescer adequadamente os seus quadros, refletindo por isso um incremento nos custos com o pessoal que passaram de 9,9 milhões de euros, em 2012, para 15,1 milhões em 2013, acompanhado por uma redução do peso dos subcontratos no volume de negócios que passou no referido período de 65% para 57%.

    Excluindo o efeito dos fenómenos não recorrentes (justo valor das propriedades de investimento e reversão de provisões de clientes), o resultado operacional de 58 milhões de euros compara com 52 milhões de euros em 2012.

    O resultado líquido do Grupo cifrou-se em 4,4 milhões de euros (sem interesses minoritários 0,2 milhões de euros), contra 7,6 milhões de euros (sem interesses minoritários 2,2 milhões de euros). Expurgadas as influências do justo valor das propriedades de investimento, das imparidades verificadas nas ações das empresas cotadas do PSI 20, e respetivos juros e impostos associados a essas rubricas, o resultado líquido de interesses minoritários, seria de 20,6 milhões de euros em 2013, contra 14,8 milhões de euros em 2012, representando um crescimento de cerca de 39,2%. Não é despiciendo o impacto não relevado em resultados decorrente da valorização dos títulos da EDP e ZON de 18,4 milhões de euros, cuja contabilização, de acordo com as normas aplicáveis, é relevado diretamente em capitais próprios.

  • Relatório & Contas 2014https://grupovisabeira.com/assets/relatorioanualgrupovisabeira2014.pdf

    O ano de 2014 no Grupo Visabeira caraterizou-se por um forte impulso operacional, refletido através de um volume de negócios histórico, atingindo os 632 milhões de euros, com um crescimento de 12,2% relativamente ao ano anterior.

    Acompanhando este crescimento, o EBITDA teve um aumento de 19,2%, fixando-se nos 98,3 milhões de euros, com uma margem de 15,6%, um novo máximo na história de crescimento do Grupo. A globalização leva a que os grupos económicos cada vez mais se virem para a internacionalização, nessa linha, o Grupo Visabeira assume mesmo essa estratégia como principal pilar do seu crescimento, há mais de três décadas

    Com um maior incremento nos mercados externos, mais de metade do volume de negócios consolidado é gerado fora de Portugal, representando 57% do total do volume de negócios, com um notável crescimento de 18,3% face ao ano anterior. Os países com maior contribuição para este crescimento foram: França, Angola, Moçambique, Espanha, Alemanha, Bélgica, Brasil, Estados Unidos, Dinamarca e Holanda.

    A área de negócios com maior peso a nível consolidado é a Visabeira Global, com um contributo de 72% do volume de negócios total e de 58% no EBITDA, o que demonstra uma boa performance operacional com maior incidência em França, Angola e Moçambique nas atividades de televisão por cabo e infraestruturas de telecomunicações. Ainda a destacar em Moçambique as infraestruturas de transporte ferroviário e em França um grande crescimento na área das infraestruturas de telecomunicações.

    Na área da Indústria, realça-se um bom crescimento operacional devido a produtos de qualidade, associados a marcas emblemáticas como a Vista Alegre e a Bordallo Pinheiro.

    A Pinewells e a Ambitermo merecem uma referência nesta área devido ao seu contributo no EBITDA e em conjunto representarem 40% do total da subholding.

    A Vista Alegre atingiu um máximo histórico no EBITDA com 2,3 milhões de euros representando 27% da subholding Visabeira Indústria.

    O turismo, através da subholding Visabeira Turismo, fruto de uma variada oferta hoteleira com onze unidades hoteleiras distribuídas entre Portugal e Moçambique, atingiu um volume de negócios consolidado de 17,3 milhões de euros e um EBITDA de 3,8 milhões de euros.

    Em termos globais, os custos com pessoal tiveram um incremento de 18,6%, principalmente devido ao aumento da atividade das empresas de telecomunicações, nomeadamente na Constructel França, na Constructel Alemanha e Dinamarca, e ainda da Meci (adquirida no 2º semestre de 2014), as quais contribuíram com um crescimento de 320 trabalhadores, relativamente ao ano anterior, passando assim os custos com pessoal de 15,1 milhões de euros em 2013 para 22,4 milhões de euros em 2014. O resultado operacional recorrente (sem o efeito do justo valor das propriedades de investimento e reversão de provisões de clientes), situa-se nos 66 milhões de euros, que compara com os 59,6 milhões de euros verificados em 2013.

    O Grupo Visabeira atingiu um dos mais elevados resultados líquidos da sua história, registando 13,2 milhões de euros (sem interesses minoritários 8,1 milhões de euros) face aos 5,2 milhões de euros no ano anterior (sem interesses minoritários 1,1 milhões de euros).

    Ao expurgar as variáveis do justo valor das propriedades de investimento, das imparidades verificadas nas ações das empresas cotadas do PSI 20, e respetivos juros e impostos associados a essas rubricas, o resultado, líquido atribuível aos acionistas, seria de 23,7 milhões de euros em 2014, contra 20,6 milhões de euros em 2013, representando um crescimento de cerca de 15,1%. De notar também o importante impacto da valorização dos títulos da EDP e NOS de 7,9 milhões de euros, cuja contabilização, de acordo com as normas aplicáveis, é relevado diretamente em capitais próprios.

  • Relatório & Contas 2015https://grupovisabeira.com/assets/relatorio_2015_web.pdf

    O ano de 2015, no Grupo Visabeira, ficou marcado por um volume de negócios de 681 milhões de euros, superando o volume de negócios de 2014 (632 milhões de euros), o que se refletiu num crescimento de 7,8%. Destaque também para o EBITDA de 109 milhões, com um aumento de 11% relativamente ao ano transato e ainda com uma margem histórica, no Grupo Visabeira, de 16%. Seguindo as linhas de 2014, durante 2015 o Grupo Visabeira continuou com o reforço da sua estratégia de internacionalização, o que ficou patenteado no crescimento do volume de negócios gerado fora de Portugal, que atingiu os 60%, 3 pp acima dos 57% de 2014. Os países do mercado externo com maior peso no volume de negócios foram França, Angola e Moçambique, com um peso de 17,9%, 17,4% e 14,5%, respetivamente. A área de negócios da Visabeira Global continua a ter o maior peso ao nível de consolidado, com 72% do volume de negócios e ainda 60% do EBITDA, com grande incidência em Angola, Moçambique e França, na televisão por cabo e infraestruturas de telecomunicações.

    Na Visabeira Indústria é importante destacar a Bordallo Pinheiro e a Vista Alegre como marcas com grande reconhecimento a nível mundial, que aumentaram o seu volume de negócios e a sua quota nos mercados externos. De realçar ainda que a Vista Alegre, Ambitermo e Pinewells representam grande parte do volume de negócios da sub-holding, com 57,4%, 13,8% e 10,5%, respetivamente.

    A sub-holding Visabeira Turismo terminou o ano de 2015 com um volume de negócios de 37,2 milhões de euros, representando 5% do volume de negócios total, e com um EBITDA de 15,1 milhões de euros.

    O resultado cambial do grupo foi negativo em 2015 (5,6 milhões de euros), devido a uma valorização do euro face ao metical (19%) e ao kwanza (10%), o qual contribuiu com um aumento negativo de 7,6 milhões de euros face ao ano anterior.

    À semelhança do ano de 2014, o Grupo Visabeira conseguiu atingir em 2015 um dos mais elevados resultados líquidos da sua história, 20,5 milhões de euros, superando o resultado de 13,2 milhões de euros atingido no ano transato.

    Expurgadas as variáveis do justo valor das propriedades de investimento, das imparidades verificadas nas ações das empresas cotadas do PSI 20, e respetivos juros e impostos associados a essas rubricas, o resultado líquido, atribuível aos acionistas, seria de 28,2 milhões de euros em 2015, contra 23,7 milhões de euros em 2014, representando um crescimento de cerca de 19%. De notar também o importante impacto da valorização dos títulos da NOS, de 9,8 milhões de euros, cuja contabilização, de acordo com as normas aplicáveis, é relevado diretamente em capitais próprios.

  • Relatório & Contas 2016https://grupovisabeira.com/http://www.grupovisabeira.com/assets/rc2016.pdf

    O Grupo encerra o ano de 2016, com um volume de negócios consolidado de 601 milhões de euros e um EBITDA de 111 milhões de euros.

    No ano de 2016, o Grupo foi fortemente afetado pelas variações cambiais do kwanza e do metical, respetivamente em Angola e Moçambique que impactaram fortemente o volume de negócios e o EBITDA do Grupo. O volume de negócios também foi afetado pela alteração de política de revenda de materiais na atividade com alguns operadores, que embora não tendo impacto no EBITDA, teve impacto no volume de negócios. Não fosse estes dois impactos o volume de negócios do ano de 2016 teria sido de cerca de 691 milhões de euros.

    O Grupo atinge os 111 milhões de euros de EBITDA, alcançando novo máximo histórico, representando um crescimento de 7%, face ao período homólogo, e resultados líquidos de 28 milhões de euros registando um crescimento de 38% face a 2015.

    O Grupo continuou a sua forte aposta na estratégia de internacionalização. França, Angola e Moçambique continuam a ser os principais países que contribuem para o volume de negócios dos mercados externos do Grupo. França, onde atualmente o Grupo detém três empresas, contribuiu já este ano com 143 milhões de euros para o volume de negócios, sendo atualmente este o mercado externo com maior contributo para o volume de negócios.

    A Visabeira Global continua a ser a “sub-holding” com maior peso, representando 72% do volume de negócios do Grupo e 61% do seu EBITDA, respetivamente com 430 milhões de euros e 67,6 milhões de euros.

    A Visabeira Indústria, registou um volume de negócios de 113 milhões de euros e um EBITDA de 14,9 milhões de euros, o que representa um crescimento de 14% face ao período homólogo. De destacar o excelente desempenho da Vista Alegre que apresentou, este ano, resultados positivos, com um volume de negócios consolidado de 75,4 milhões de euros, um EBITDA de 9,5 milhões de euros e resultados líquidos positivos de 1,7 milhões de euros.
    O Grupo também nesta “sub-holding” continua a manter uma forte aposta na internacionalização dos seus produtos através da Vista Alegre, da Bordallo Pinheiro, da Pinewells, da Mob e da Ambitermo.

    A Visabeira Turismo terminou o ano de 2016, com um volume de negócios de 33,4 milhões de euros, representando quase 6% do volume de negócios total do Grupo e atingindo um EBITDA de 17 milhões de euros.

    De destacar nesta “sub-holding” a nova unidade hoteleira do Grupo Visabeira, o Montebelo Vista Alegre Ílhavo Hotel que, após a inauguração, tem sido palco de diversos eventos de relevo internacional.

A nossa presença no Mundo

Presentes com empresasPresentes com produtos / serviços

Contactos